Estrelas do cinema que odeiam seus papéis mais icônicos

Enquanto alguns atores mantêm os papéis que os tornaram famosos em alta conta, outros atores têm um relacionamento mais complicado com eles. Seja porque eles não gostam do personagem que interpretaram, do filme ou série de TV em que atuaram, ou simplesmente dos efeitos de desempenhar esse papel em suas vidas reais, alguns atores ficaram ressentidos depois de tomar papéis que são vistos como icônicos. Isso mostra que nada é o que parece, e ter sorte o suficiente para conseguir o papel de uma vida nem sempre é uma bênção. Confira essas 8 estrelas do cinema que odeiam os papéis icônicos que interpretaram.

Carrie Fisher: Guerra nas Estrelas

null

Interpretar a Princesa Leia Organa na franquia Star Wars fez de Carrie Fisher uma estrela internacional, mas isso não significa que ela amou o papel. De fato, em uma entrevista em 2008, a falecida atriz revelou que não gostou da experiência. Ela certamente não olha com carinho para a época em que interpretou a princesa Leia. Isso ocorre principalmente porque ela não gostava de ser um ícone global.

Na entrevista, Fisher admitiu que na verdade teria recusado o papel se soubesse o quanto isso mudaria sua vida.

Blake Lively: Serena Van der Woodsen

null

Agora ela é uma estrela de cinema com papéis principais em filmes como Um Pequeno Favor e A Idade de Adeline. Mas Blake Lively chegou à fama por retratar a rica colegial de Manhattan Serena van der Woodsen no programa de sucesso Gossip Girl. Enquanto milhões de fãs adoravam Serena, a própria Lively, não. O caráter de Serena era tão diferente do seu que ela achou o papel difícil de desempenhar às vezes.

Segundo a People, Lively descreveu retratar Serena como “pessoalmente comprometedor” por causa da mensagem que estava divulgando por aí. “Eu não teria orgulho de ser [Serena].”

Jack Gleeson: Game of Thrones

null

Honestamente, seria um pouco preocupante se Jack Gleeson gostasse do papel que o lançou à fama. O ator irlandês agora é um nome conhecido depois de interpretar Joffrey Baratheon em Game of Thrones, um dos únicos personagens realmente maus da complexa série de fantasia. Quando o personagem sádico foi finalmente eliminado da série, fãs de todo o mundo se alegraram.

Depois de retratar o cruel rei adolescente, Gleeson revelou que não queria mais atuar. Em entrevista à People, Gleeson admitiu que atuar “simplesmente não é o que eu quero fazer”.

Robert Pattinson: Crepúsculo

null

Robert Pattinson não estava preparado para a maneira como sua vida mudou depois de retratar o galã literário Edward Cullen, o vampiro de Crepúsculo que se apaixona por uma garota humana. Ele instantaneamente se tornou um ídolo adolescente e objeto de obsessão para fãs de todo o mundo.

Pattinson não estava apenas desconfortável com a quantidade de fama que o papel lhe trouxe, mas também com o próprio personagem. Em entrevista, Pattinson disse que odiava mais Edward conforme continuava a ler o roteiro, chamando-o de “ridículo” e “maníaco-depressivo”.

Jamie Dornan: Cinquenta Tons de Cinza

null

Quando foi lançado, Cinquenta Tons de Cinza foi manchete em todo o mundo por seu conteúdo explícito e ousado. Uma pessoa que não gostou do par romântico do filme, Christian Grey, é Jamie Dornan, o ator da Irlanda do Norte que o interpretou. Em uma entrevista à GQ Austrália, Dornan admitiu que o personagem “não é o tipo de cara com quem eu me daria bem”, acrescentando que as preferências de seu quarto não “são a minha praia”.

Ativistas de direitos das mulheres e outros críticos criticaram Grey e o próprio filme por serem problemáticos e influenciarem negativamente o público jovem.

Sean Connery: James Bond

null

De todos os atores que interpretaram James Bond no passado, Sean Connery se destaca como aquele que não tinha muita simpatia pelo papel. Em 1964, ele se sentou com o The New York Times e confessou que realmente não admirava o personagem que estava interpretando, afirmando: “Ele não é meu tipo de sujeito”.

Mais tarde, em uma entrevista à Playboy, Connery elaborou seus comentários anteriores, revelando que estava frustrado com o papel. “Bond tem sido bom para mim, então não devo bater nele”, disse ele na entrevista de 1965. “Mas eu estou farto até aqui com todo o negócio de Bond”.

Johnny Depp: Anjos da Lei

null

À medida que avançava em sua carreira, Johnny Depp tornou-se conhecido por dispensar os papéis que são vistos como “legais” e, ao invés disso, optar por personagens que são peculiares e incomuns. Essa paixão por explorar personagens que realmente se conectam com ele surgiu da experiência de interpretar Tom Hanson na série de TV Anjos da Lei. De acordo com o site Today, Depp não gostava odiava tanto interpretar o papel que até tentou ser demitido.

Após quatro temporadas e terminando seu contrato, Depp abandonou o papel e passou a interpretar personagens que eram mais significativos para ele.

Zac Efron: High School Musical

null

Parece haver um padrão em que os atores chegam à fama interpretando galãs adolescentes e depois se ressentiem desses mesmos papéis. Zac Efron, que interpretou Troy Bolton em High School Musical, é um desses atores que não acha o papel grande coisa ao relembrá-lo. Efron chegou ao ponto de dizer que às vezes ainda quer chutar o traseiro de Troy.

Efron explorou diferentes tipos de papéis desde que terminou High School Musical, interpretando o assassino em série Ted Bundy em Extremely Wicked, Shocking and Vile, de 2019.

Fonte: VocêSabia? | The Richest

Deixe uma resposta