Staking de criptomoedas: descubra o que é e como funciona?

Você deseja aproveitar a alta rentabilidade das moedas digitais? Existe um mecanismo que desperta cada vez mais o interesse dos investidores no mercado: o staking de criptomoedas.

Sabe o que é? Neste texto, vamos explicar esse processo que permite obter lucros sem grandes esforços.

O staking é uma maneira simples de obter renda passiva. Para fazê-lo, basta ter uma uma carteira virtual e algumas criptomoedas nela. Ao armazenar essa moeda por um período de tempo específico, você ganhará uma taxa de juros.

Redes de blockchain
Existem diferentes métodos das redes de blockchain para validar as transações realizadas. Os métodos mais conhecidos são:

1 – Proof of Work (PoW)

Utilizado por moedas como Bitcoin, Litecoin e Monero. precisam ser mineradas. As transações são validadas em blocos pelos computadores da rede.

Para validar um bloco, um computador deve resolver um quebra-cabeça matemático, que requer muita energia elétrica e potência computacional.

Para incentivar os computadores a minerar, a rede recompensa os mineradores com uma certa quantidade de cripto. Isto leva a uma grande competição entre os mineiros.

2 – Proof of Stake (PoS)

As transações no sistema PoS não precisam ser mineradas. Os computadores que validam as transações são simplesmente recompensados com uma certa quantidade de cripto.

Essa quantidade é baseada na quantidade de criptomoedas que eles já possuíam anteriormente. Quanto mais moedas um determinado computador possuir, mais transações ele será responsável por validar, e mais criptomoedas ele ganhará ao validar.

E esse é o processo de staking. Para ser um validador de uma rede blockchain, você provavelmente precisará ter muitas das criptomoedas que deseja fazer staking.

Mas se você não é um grande investidor, você pode fazer parte de um pool de staking e receber facilmente seus juros, independentemente do número de moedas que você possui. Para isso, é importante ter uma carteira virtual adequada, que permita o processo de staking.

Como fazer?

O staking de criptomoedas pode ser realizado de duas maneiras distintas. Em primeiro lugar é possível fazer o uso de uma wallet ou dispositivo físico específico (que você deve comprar).

Em segundo lugar, mediante o uso de uma staking pool, da qual trataremos mais adiante.

A Ethereum é uma das criptomoedas mais famosas em que usuários podem fazer staking. Aliás, a rede pretende migrar completamente para a proof-of-stake por questões de escalabilidade.

Carteiras multi-ativos já permitem fazer staking:
• Trust Wallet
• Exodus Wallet

Plataformas de exchange que permitem staking:
• Binance
• Coinbase

Tipos de Staking

Existem três tipos de staking de criptomoedas. Veja quais são:

1 – Grupos de Staking
São grupos de usuários que se unem para aumentar as suas possibilidades como validadores de blocos. Então, unificam todos os seus fundos para ter maior poder de staking.

Então, ao receberem as recompensas, dividem-se entre todos os participantes de forma equivalente à contribuição individual que cada um fez.

Este método permite que pequenos usuários ou novos usuários participem da rede, independentemente da quantidade de ativos que possuem. Contribuindo para a descentralização da mesma.

2 – Cold Staking
Trata-se de realizar um staking a partir de uma carteira fria. Como uma carteira de hardware sem conexão permanente com a Internet. Algumas blockchains permitem este tipo de staking, ajudando os seus usuários a manterem os seus fundos offline e, portanto, muito mais seguros.

É ideal para usuários que possuem grandes quantidades de criptomoedas. Que, estando online, sem dúvida correriam um grande risco.

3 – Provedores de Staking
Esta modalidade permite que muitos ofereçam um serviço dedicado aos usuários de moedas para stake. Porém, o retorno com este tipo de staking depende muito das comissões que cobram. Isto pode variar entre 2% e até 50% das recompensas.

Portanto, uma porcentagem menor dos lucros do que se o staking fosse realizado apenas a partir de uma plataforma.

Vantagens e Desvantagens do staking de criptomoedas

O staking de criptomoedas oferece vários benefícios. Mas, como qualquer atividade, também apresenta desvantagens.

Contudo, a lista abaixo, no entanto, mostra que os prós superam os contras.

Vantagens

• Usa muito menos eletricidade e recursos físicos do que a mineração;
• A segurança é melhorada, pois as partes interessadas têm interesse na integridade da rede;
• Blockchains usando PoS são muito mais rápidas e podem escalar mais rapidamente;
• Fonte mais fácil de receita passiva sem gastar muito em equipamentos de mineração;
• Potencial de ganho duplo se os preços do token aumentarem;
• Stake pools podem ajudar os detentores de moedas a mesclar recursos para aumentar as chances de validar blocos e receber recompensas;
• Não há necessidade de ter qualquer experiência ou conhecimento de negociação.

Desvantagens do staking de criptomoedas

• Possível centralização, já que as baleias que seguram muitos tokens podem ter mais influência sobre a rede;
• Os preços das criptomoedas ainda são voláteis, então os ativos apostados podem se depreciar;
• O staking com algumas moedas pode exigir que sejam bloqueadas por períodos definidos.

Quais criptoativos permitem que você faça staking?

Há diversas altcoins que já trabalham com o Proof of Stake. Hoje vamos citar algumas que você já pode comprar na BitcoinToYou, passar para sua carteira e começar a ter rendimentos passivos com isso.

1. NEO
NEO é uma altcoin que ao contrário do Bitcoin é semelhante ao Ethereum, apresenta muito mais que apenas um objetivo.

Com a plataforma do criptoativo é possível desenvolver aplicativos descentralizados e contratos inteligentes. Além disso, é viável criar tokens em seu blockchain.

2. Cardano
Cardano é uma plataforma descentralizada que permite transferências de valor programáveis complexas de forma segura e escalonável. Ademais, é uma das primeiras a ser construída na linguagem de programação Haskell.

Por ser um ativo digital criado após o Bitcoin e Ethereum, a ADA consegue aprender com os erros de seus antecessores. Além disso, possui uma plataforma com um desempenho melhor que os dos principais criptoativos.

Assim sendo, seu blockchain apresenta camadas flexíveis e escalonáveis.

3. EOS
EOS é uma plataforma que apresenta transações rápidas e escaláveis. Apesar de já contar com taxas de transações atrativas, o EOS eliminará todos os custos dos usuários em breve.

Portanto, o EOS é visto como o criptoativo que oferece uma plataforma blockchain descentralizada e de alto desempenho para empresas de todo o mundo.

4. Stellar
O criptoativo nasceu com o intuito de ser uma alfabetização financeira e um dinheiro utilizável no dia a dia com escalabilidade e baixas taxas. Ou seja, assim como outras altcoins no mercado, deseja ser o ativo digital escolhido para realizar pagamentos.

Via: FinanceOne

Deixe uma resposta